• Fábio Pessoa

EU, VOCÊ, TODOS PARASITAS!


Quantos anos você tem agora? Quantos dias inteiros você já passou aqui na Terra? Já começou a pagar sua dívida? Vai colocar a mão na consciência ou vai continuar fingindo que não sabe do que se trata? Então deixe-me explicar!

Ao nascer você deu aquele choro característico de quem respirou oxigênio pela primeira vez! Sim! Seus pulmões se encheram rapidamente e num segundo você devolveu gás carbônico ao planeta. Daí então você não parou mais: a cada três segundos uma inspiração e uma expiração. A Terra lhe dá um composto vital e você devolve o que não te serve.

De bebê a criança, de adolescente a um adulto você continua aí respirando. Mas não é só isso que você deve. Para facilitar o entendimento vamos representar em apenas um dia o quanto consumimos: ao acordar você se levanta da cama e vai direto ao banheiro fazer necessidades; esvazia a bexiga na privada e aciona a descarga. O mundo lhe deu água para isso.

Na pia você liga a torneira para lavar as mãos e em seguida higieniza o rosto: mais água. Você sai do banheiro e vai direto para a cozinha para preparar o café. Abre a geladeira, apanha leite e frutas. Usando uma cafeteira e uma torradeira prepara outra parte do desjejum. A energia elétrica que precisou também foi fornecida, assim como os alimentos que comeu.

De casa para o trabalho usando um transporte à base de combustível fóssil. Durante todo o trabalho se repete o uso intenso de recursos. Você recebe ar, água, alimentos e fontes de energia. E devolve gás carbônico, esgoto, lixo e poluição. Você suga o que há de bom e devolve o que não quer. No meio do caminho ainda desperdiça ou descarta coisas que pensou querer, mas não precisou.

Uma pessoa de 30 anos completos viveu 10950 dias. Desde o seu primeiro dia de vida a Terra lhe brindou com os melhores recursos. O que você está fazendo para retribuir? Quantas árvores você já plantou ou ainda vai plantar? Como está pensando em devolver parte do que recebeu? Devo estar exagerando, certo? Melhor eu parar com esta minha postura extremista e você vai relaxar tomando um banho. Que tal?

Vá enquanto ainda temos água, energia, ar e comida. Pois no dia em que um deles começar a faltar você só vai ter uma escolha: se sacrificar ou tirar de alguém para te suprir. Como anda seu espírito de caridade? Como tem aprimorado seus extintos vitais? Não, não pense em canibalismo não. A melhor classificação pra mim, pra você e todos nós é o parasitismo. Somos hóspedes famintos e arruaceiros com apetite infinito.

Infinito. O que é isso? Durante minha estadia tenho visto muita coisa acabar, piorar, mudar. Mas até agora não fui apresentado ao infinito. Talvez seja por isso que eu me preocupo tanto em saber de onde vem, pra onde vai e como posso fazer para conservar. “Que idiota! Você sozinho vai salvar o planeta? Deve estar louco!”. Então me interne e seja feliz!

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square