Por que as empresas fracassam na Sustentabilidade?

September 24, 2016

  

Você certamente já ouviu dizer que a sustentabilidade nas empresas não funciona. Ou melhor, que investir na “balela verde” só faz aumentar custos e não gera retorno. Verdade ou mito?

 

Para as empresas que optam por embutir ou aplicar a sustentabilidade estas afirmativas são sim verídicas. O fato é que muitas empresas monitoram o mercado e escutam maravilhas sobre as causas ambientais. Daí então decidem por investir na pauta sem conhecimento e planejamento.

 

É assim que surge um departamento de meio ambiente com três funcionários realizando atividades esporádicas, sem adesão ou apoio geral ou específico. Ou ainda aquele departamento que surge para cuidar exclusivamente das “chatices” da certificação ambiental. Obviamente os resultados não serão os esperados e os custos maiores do que se imaginava. O mais bizarro é a empresa não entender que o setor de meio ambiente é desnecessário em sua estrutura de gestão.

 

Uma importante multinacional de produtos esportivos tem uma linha exclusivamente focada na sustentabilidade. Mas o restante de seus produtos, não. Uma multinacional automotiva possui um veículo que usa somente filtros de óleo ecológicos. Mas esta mesma possui outros vários carros que continuam sendo produzidos à moda antiga. Nestes exemplos as práticas ambientais são apenas parciais e não incorporadas ao negócio.

 

O que sua empresa está fazendo para minimizar o consumo de água e luz? A matéria prima de base para sua atividade atual vai estar disponível e acessível daqui a 10 anos? Qual será o custo dela no mercado mundial? As políticas locais e globais estão apontando para quais tendências? E os clientes, o que pensam sobre tudo isso?

 

As empresas fracassam porque não sabem se adaptar ao meio, querem o contrário. Com ações rasas e lineares vão registrar somente prejuízo. Vão colocar dinheiro pontualmente e perdê-lo. Seria melhor jogar logo a quantia no lixo ou doar para comunidades carentes. E não adianta gritar sua revolta ao mundo, as grandes ondas estão vindo e não há como mudar o destino. Mas ainda há tempo de mudar as rotas.

 

De nada adianta discursar e não ser a causa. A sustentabilidade empresarial com carga ambiental requer comprometimento e disciplina do faxineiro ao presidente. Requer mudanças, quebra de paradigmas e disposição. Segundo Laslo e Zhexembayeva (2011), o mais importante é que todos os interessados podem se beneficiar, independente do segmento onde atuam.

 

Empreendimentos que dependem muito da água não devem se preocupar em mapear locais onde este recurso existe em maior abundância. A quebra de paradigma está exatamente na busca por um caminho que necessite cada vez menos deste recurso. Processos inovadores considerando limitações e desafios de uma sociedade com escassez de recursos. É disto que se trata.

 

 

Referência: LASZLO, Chris; ZHEXEMBAYEVA, Nadya. Sustentabilidade incorporada: a nova vantagem competitiva. Rio de Janeiro, Qualitymark, 2011.

Please reload

Posts Recentes

September 22, 2019

August 30, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags