CRISE AMBIENTAL?

September 24, 2016

 

Oficialmente começamos a nos “preocupar” com a natureza a partir de 1968. Neste ano o Clube de Roma iniciou o estudo interdisciplinar dos efeitos da ação humana sobre a Terra. Isto foi ontem se observarmos o tempo de existência da humanidade. Os resultados das pesquisas produziram um documento chamado Os Limites do Crescimento, na Conferência de Estocolmo em 1972.

 

Este evento científico internacional apresentou pela primeira vez ao mundo, uma projeção matemática do futuro usando modelagem. Os dados da época e o comportamento da sociedade serviram de base para que um programa de computador fizesse os cálculos. Os resultados foram alarmantes! Ainda assim, daquele ano até os dias atuais, pouco mudou.

 

Em 2008, um renomado estudioso australiano, Graham Turner, publicou um artigo cujo conteúdo tratou exatamente de comparar as projeções divulgadas em 72, após trinta anos. O trabalho constatou que as mudanças na industrialização, na produção de alimentos e poluição estão totalmente coerentes com as projeções divulgadas em Estocolmo. O recado era claro: se nada mudar teremos um colapso econômico e social no século 21.

 

Pois é onde realmente estamos: no meio de um caos socioambiental provocado pela voracidade do capital e seu modo de produção altamente explorador. Tudo é movido pelo dinheiro e a ferramenta propulsora se chama consumo. Tudo vira produto e pode ser medido por números, inclusive as pessoas. Sugamos recursos do planeta em ritmo acelerado. Países como os Estados Unidos necessitariam de cinco globos para alimentar sua fome por bens e seu desperdício.

 

No Brasil não é diferente. Nossa abundância em recursos naturais e nossa dificuldade de gestão nos fazem consumir mal e desperdiçar muito. Apostamos nossas fichas na bondade de Deus para nos mandar água antes que os grandes centros entrem literalmente em guerra pela escassez deste recurso. Reclamamos do alto custo da energia e dos aumentos nas taxas de água e esgoto, mas não pensamos em mudar nossos hábitos.

 

Meus alunos de disciplinas alinhadas com a temática da sustentabilidade são sempre convidados a pensar sobre isso: todos os dias ao acordar, usamos a pia ou a privada do banheiro e a água lá está a nosso dispor; usamos o micro-ondas e a geladeira que funcionam com a eletricidade sempre disponível nas tomadas; vamos para o trabalho ou para a escola usando um veículo movido a combustível fornecido pelo planeta; almoçamos alimentos cultivados no solo que a Terra nos dá; voltamos para a casa no fim do dia e tudo lá estará à nossa disposição; o que não usamos jogamos na lata do lixo, que é levada pelo caminhão três vezes por semana.

 

Multiplique tudo isso por 365 dias e também pela idade que você tem. Quanto o Planeta te deu? Quanto de água você bebeu e quanto dela utilizou para se higienizar? Quanto de comida você já comeu? Impossível calcular? É realmente uma resposta complexa e talvez poucos consigam precisar o resultado. A pergunta que realmente importa é: o que você deu em troca para o Planeta? As respostas: lixo, poluição, destruição, desmatamento, exploração……..

 

Nossa dívida é muito grande! Para pagá-la precisamos aprofundar nossa consciência. Para aumentar a nossa sensibilidade precisaríamos investir diariamente e rotineiramente em ações de retorno ambiental. É difícil, pois somos metralhados massivamente pela indústria do consumo e não resistimos. A Educação Ambiental que recebemos é tão eficiente quanto a aula de mandarim chinês com duração de uma hora ministrada duas vezes por semana: aprenderemos pouco, palavras isoladas, mas não conseguiremos formar frases capazes de levar mensagens adiante. Não nos comunicamos e nem pensamos como deveríamos pensar.

 

Meio ambiente: Isso é problema de governo! Estou mesmo preocupado é com o jogo de futebol do próximo domingo. Será que ganharemos? Falta de água: já comprei uma nova caixa de mil litros feita de material ecológico! Pode faltar água no vizinho, mas aqui em casa tem de sobra! Sustentabilidade: vamos logo combinar um churrasco porque esse papo de aranha eu só consigo ouvir se estiver bêbado! Deus me livre!

Enquanto isso lá na África…..

Please reload

Posts Recentes

September 22, 2019

August 30, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square